quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CARO PEDIDO DE DESCULPAS!

esqueci seu nome!
releve! tenho muitas coisas na cabeça!
muitos nomes e tempos confusos.
mal lembro a última mulher que amei,
ou a última vez que amei a última mulher!

digressão: e já estou a falar de amor como quem saiba de que se trata.
não tenho tempo para amar. preciso que duas mulheres se entendam da melhor maneira, entre outras coisas,
para que minha vida não acabe em úlcera!

preciso correr em direção
à "mens sana in corpore sano"
- 5 km sempre que sobrar tempo no dia.
não tenho uma religião pronta,
a filosofia está sempre a caminho e no caminho
que é por onde sobrevivo com pressa pra haver horas vagas em que eu viva
e eu vivo! está lendo?

aah! também! graças a falta de deus nesta casa
não me adotaram partidos políticos

desculpe! esqueci seu bairro!
escrevo poesias com a pressa de sair a trabalho.
sair pelo que além de minha sensibilidade sustenta minha família minguante. estou como um touro, sou capaz de morrer já, sem me deixar abater!

o nome de uma rua tenho em mente.
ontem estive no setor balneário.
hoje não sei como se chega lá a partir de minha casa.
e um ponto de vista da rua Groelândia me contou uma vida linda que eu não sei se tive plenamente e talvez que eu só tenha namorado no cinema francês. ou seria latino?

sou adepto do esquecimento!
preciso deixar para trás. porque tudo me toca, tudo entra em mim, me espeta!
uma rua que fiz me encheu de números de quadras, lotes...e nomes de edifícios residenciais e empresariais.
os prédios que visitei me deram apartamentos,
muitas pessoas me deram seus telefones:
umas para o cantor, outras para o motorista e outras depois de me piscarem os olhos.
em que devo estacionar
devo saber as placas que proíbem tal velocidade, qual gesto,
"acenda os faróis" - diz minha esposa Waze!
coloquem os cintos! - eu lhes digo.

"deus santo! esqueci de passar na farmácia!"
as tarraxas novas do violão não encaixaram os seus vãos de parafuso no vão dos parafusos das tarraxas antigas que quebraram ontem porque tenho pouco espaço e bati no violão com as sacolas de lixo!
(amanhã voltar cedo a loja para dar tempo das cordas se ajustarem para o show da noite)

desculpe mesmo. esqueci onde você nasceu!
em vez disso tenho em mente de cor os nomes de remédios de minha velha:
xarelto, sinvastatina, digoxina, enalapril, ancoron, aldactone, furosemida, alenia, tartarato de brimonidina... se não servem de verso, servem para que ela viva.

e tomo cuidado com os carroceiros nas rotatórias
eles fazem pouco da vida em troco bem menor
do tão pouco que ela faz deles!

tenho breve e sem propósito o nome de duas jovens
passageiras que cantaram comigo.
ou seria no bar em que toco aos domingos, ou na sexta?
um casal, senhor e senhorinha - me contou uma história
e eu lhes cantei um samba para passar o engarrafamento.
eles iriam para a rodoviária para partir para onde mesmo?
acho que era pra Bahia!
e os semáforos queimados nos detiveram!

tenho palavras, contextos de filmes franceses, argentinos, notas de jazz, clássicos e samba...
tenho reminiscências virando psicodelias...
e pior:
"dou ouvidos a muitos!" - pense!

das postagens diversas no facebook que olho distraidamente num tempo vago
guardo sempre coisas que traças imateriais comem os pedaços
e ficam assim perdidas...
só a literatura mesmo pra reabsorver tudo isto imprimindo algo pronto a ser novamente esquecido!

esqueci quem era você! qual era a mensagem! quem me encomendou estes versos!
tive de fazê-los públicos! desculpem-me!

o que foi mesmo que pediu aquele ouvinte?
preciso lembrar de pintar o para-choque do carro,
se não a locadora me arranca o fígado!
preciso não esquecer de tocar depois de amanhã no evento de quem mesmo?
sei que começa às duas...

desculpe! esqueci seu nome... eu pretendia mesmo amá-la.
ou poder saber contigo o que faz este verbo que tanto tem sido dito (à procura de lucro?)!

por que lembrar de uma leitora que me pediu um livro? em que mês e ano mesmo?
qual dos dois livros? putz! disse que era minha fã - não tenho muitos - e esqueci dela!
ou seja, esqueci foi de mim!
e o pedido foi via email, telefonema, whatssap, encontrou-me em um bar?
quem me pediu o quê?

sei, alguém sabe o que é isto, além de atraso de tomar banho e entrar naquele carro?
hoje, pra pegar passageiro!
e façamos uma rima
pra não esquecer de segunda pintar o para-choque traseiro!

ah, minha lombar, neste janeiro magro terás de fazer nesta quinta uns bastante reais!
mas o que era mesmo que eu vinha aqui fazer?
aah sim!
desculpe mesmo, amigo
ontem esqueci de ir beber contigo.
era às 17 horas? confundi com os 17 quilos perdidos?
ou seria às 8h?
e achei o 8 no 80 da balança da farmácia em que esqueci de comprar os remédios?

Nenhum comentário:

Postar um comentário